Habitação
Rendas estabilizam em Lisboa no 2º trimestre
Com uma variação de -0,1%, interrompe-se o ciclo de fortes descidas trimestrais das rendas de habitação registado desde o ano passado. No Porto, as rendas continuam a descer 1,6%.
07/28/2021
casas habitação-1[1].jpg

No segundo trimestre deste ano, as rendas habitacionais em Lisboa registaram uma variação trimestral de -0,1%, o que interrompe o percurso de fortes reduções em cadeia registado desde o início de 2020.

De acordo com o Índice de Rendas Residenciais da Confidencial Imobiliário, que monitoriza o comportamento do mercado de arrendamento residencial com base nos novos contratos realizados, a variação praticamente nula agora observada compara com a variação média trimestral de -4,3% registada desde o início do ano passado, quando a descida em cadeia chegou a aproximar-se dos 7%.

Por outro lado, o padrão de contração das rendas mantém-se em termos homólogos, apesar de um desagravamento da descida. No 2º trimestre, as rendas desceram -12% face a igual período de 2020, que compara com os -18% do trimestre anterior e com os -16,8% do final de 2020.

Na capital, a renda média contratada no 2º trimestre deste ano fixou-se nos 12,5 euros/m², segundo os números do SIR-Arrendamento.

Rendas descem 1,6% no Porto

Já na Invicta, as rendas das casas mantêm a sua tendência de descida, com uma quebra de -1,6% face ao trimestre anterior, o que, ainda assim, desagrava a descida dos trimestres anteriores, quando a taxa de variação trimestral atingiu os -3,2%.

Em termos homólogos, as rendas no Porto desceram -9,8%, descida que intensifica a de -8% registada no primeiro trimestre do ano.

No Porto, a renda média contratada no 2º trimestre de 2021 fixou-se nos 10,5 euros/m².

Fonte: Vida Imobiliária