Investimento
Fim dos Vistos Gold em Lisboa e Porto vai custar €700M ao ano
O fim do programa de Vistos Gold nas regiões de Lisboa ou Porto pode representar a perda de 700 milhões de euros por ano, nos quais se incluem 85 milhões de euros em impostos diretos e taxas para o Estado.
investimento dolares.jpg

As contas são da Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários, que «manifestou publicamente a sua extrema preocupação com o anunciado fim do programa dos Vistos Gold pelo governo», noticiado esta semana pelo Negócios. O executivo estará a planear avançar até dezembro com as restrições de concessão de vistos, acordadas com a esquerda para o Orçamento do Estado de 2020.

No seu entender, restringir o investimento via “golden visa” às zonas do interior do país não vai garantir o interesse dos investidores nessas mesmas regiões, e «vai ditar o fim de grande parte do investimento estrangeiro em Portugal, que desde 2014 já representou um investimento que ascende a 25.000 milhões de euros». Só o ano passado, o programa representou um investimento de 700 milhões de euros e 85 milhões de euros de receita para o Estado em impostos diretos.

94% dos vistos concedidos desde o início do programa dizem respeito a investimento imobiliário, e 88,6% dos mesmos à aquisição de imóveis acima de 500.000 euros. 97% desse investimento foi feito nas zonas litorais do país. A associação teme agora que os investidores «desviem os seus investimentos para outros países».

Considerando que os Vistos Gold são «decisivos na hora de investir», Hugo Santos Ferreira, Vice-Presidente Executivo da APPII, destaca em comunicado que este programa «é um dos principais propulsores daquele que é hoje considerado consensualmente um dos motores da economia – o imobiliário, que representa 15% do PIB nacional – e que contribui decisivamente para a regeneração e dinamismo que se verificou nas principais cidades portuguesas, beneficiando a economia, concretamente a hotelaria, restauração, no comércio, etc».

O responsável considera que «o regime dos Vistos Gold é demasiado importante para o nosso País e para a nossa economia para ser vítima de tentativas vãs de “jogo político”, e que agora deixa todos aqueles que acreditaram e investiram na nossa economia com as expectativas defraudadas, um erro estratégico com efeitos nefastos para a reputação do nosso país cujas consequências não conseguimos antever ainda».

A APPII tem vindo a defender o relançamento de programas como os Vistos Gold em especial em ano de pandemia, como fundamental para relançar a economia e o setor com a crise que se avizinha. É uma das medidas reclamadas no Manifesto dos Promotores e Investidores Imobiliários, que serve de base ao Programa Relançar.