Parcerias
Howden formaliza acordo de Parceiro Principal com a APPII
Para Hugo Santos Ferreira, esta parceria permite que a Associação se capacite na «consultoria de risco da transação e de vida do projeto, de A a Z, perante os Associados».
29/09/2022
WhatsApp Image 2022-09-28 at 17.05.22.jpeg

A Howden formalizou esta quarta-feira um acordo de Parceiro Principal com a APPII. A Consultora e Corretora de Seguros Mundial é um Full Service Provider neste setor através do seu Real Estate Practice Group.

A consultora, que está presente diretamente em mais de 40 países, dispõe de uma equipa especializada multidisciplinar que providencia aconselhamento e soluções de transferência de risco que abrangem todo o investimento imobiliário

Para João Portugal Mendonça, Diretor Geral da Howden em Portugal, «este acordo é o corolário natural da presença crescente da Howden Portugal nesta área de prática, na qual dispomos de soluções que abrangem todo o ciclo de vida dos projetos de investimento imobiliário». O responsável pela Howden em Portugal referiu ainda que «tendo em conta a senioridade da equipa envolvida, e a amplitude de soluções disponibilizadas, devemos ser hoje em dia o broker mais apetrechado nesta área em Portugal».

Já Francisco Alvim, responsável pela área de M&A em Portugal, considera que «a Howden se consolida assim como player principal num dos setores mais dinâmicos do mercado, onde temos assessorado diversos investidores nomeadamente em operações de grande volume» e que «a APPII é o parceiro certo para alavancar essa experiência e continuar a trazer soluções inovadoras para o mercado de M&A e imobiliário».

O Presidente da APPII, Hugo Santos Ferreira, sublinha que para a APPII «é um orgulho enorme ter a Howden como nossos Parceiros, o que permite a Associação capacitar-se na consultoria de risco da transação e de vida do projeto, de A a Z, perante os Associados, que representam os maiores e mais relevantes promotores e investidores imobiliários, nacionais e estrangeiros, com atividade em Portugal e que representam 15% do PIB em volume de investimento anual».