Investimento
Manter o investimento é “crítico” para as autarquias
As câmaras de Lisboa e Porto estão focadas na melhoria da articulação com os privados em prol do desenvolvimento das cidades, numa altura em que «a manutenção do investimento imobiliário é crítica para nós».
Vídeo 06_04 Set_4a sessao_16.png

Quem o diz é o vereador do Urbanismo da Câmara do Porto, Pedro Baganha, que falava durante a conferência “Cidades e Promotores – uma parceria essencial”, que se realizou hoje durante a Conferência da Promoção Imobiliária em Portugal. Para o autarca, para manter o trabalho de gestão da cidade, «os processos têm de ser transparentes e claros, com um bom tempo de decisão e boa qualidade». E é por isso que a autarquia tem trabalhado nas ferramentas de digitalização dos procedimentos, «chave para a eficácia da tramitação urbanística».

Este é, aliás, uma das principais queixas da atividade imobiliária. Hugo Santos Ferreira, Vice-Presidente Executivo da APPII, considera que «o tempo de licenciamento é o principal obstáculo ao aumento da oferta» hoje em dia.

Ricardo Veludo, vereador do Urbanismo da Câmara de Lisboa defende também a «manutenção do diálogo com as associações profissionais, para compreender o que precisa de ser melhorado, um trabalho que deve ser contínuo». E garante que da parte da autarquia «temos estado a implementar medidas substanciais que geram os seus frutos» e que aceleram os processos. O autarca salientou também neste debate que «é muito importante que os promotores coloquem a sua capacidade financeira e de fazer cidade ao serviço da criação de valor».

Nesta sessão participaram também António Gil Machado, diretor da VI; Aniceto Viegas, CEO da Avenue; e Tiago Eiró, CEO da Eastbanc. Assista à sessão completa acima.

Saiba mais sobre a I Conferência da Promoção Imobiliária em Portugal.

Assista à sessão completa