Sustentabilidade
Sustentabilidade tem papel de valorização do imobiliário
A taxonomia e o financiamento verde dão ainda os primeiros passos no imobiliário. Mas não há volta atrás, o caminho será mais sustentável, sob pena de os ativos perderem o seu valor ou de o financiamento ficar mais oneroso.
12/12/2022
443.JPG

O financiamento verde e a efetiva implementação da eficiência energética são o desafio atual do setor imobiliário português. Com maior ou menor rapidez, o setor está a preparar-se para as maiores exigências europeias, e os primeiros passos estão a ser dados, até porque um dos objetivos da taxonomia europeia é reorientar o financiamento da banca. Certo é que o imobiliário que não for sustentável não terá o mesmo valor.

A sustentabilidade esteve em destaque na conferência “O caminho para o imobiliário sustentável”, organizada pela APPII e pela Greenlab. Como referiu o Presidente da APPII, Hugo Santos Ferreira, «estamos num caminho que é longo mas é certo, e a APPII quer fazer parte dele».

Num dos debates desta conferência, moderado por António Gil Machado, ficou patente que a banca vai começar a beneficiar os projetos imobiliários que forem mais sustentáveis, nomeadamente no decorrer da aplicação da taxonomia europeia, que avalia e classifica as atividades das empresas com base em vários critérios de sustentabilidade. Luís Vaz Pereira, do Millennium bcp, admite que «há diferenciação entre os projetos nos quais queremos ou não estar presentes no que toca ao perfil de risco, temos sempre de verificar se os projetos cumprem os critérios de sustentabilidade», e prevê que «num futuro próximo, para ter acesso a determinado financiamento, será preciso apresentar um pré-certificado das certificações ambientais», como LEED ou BREEAM. (...)

Leia mais aqui