Habitação
Preços da habitação crescem 11,7% em novembro
Novembro confirmou a tendência de recuperação deste indicador, que tem vindo a subir desde abril de 2021. A falta de oferta disponível continua a impulsionar os preços.
04/01/2022
habitação casas Capa (3).jpeg

Os preços da habitação registaram uma subida homóloga de 11,7% no mês de novembro, revela a Confidencial Imobiliário no âmbito dos mais recentes resultados do Índice de Preços Residenciais para Portugal (Continental).

Este resultado confirma a tendência de recuperação deste indicador, que é registada desde abril, depois de a valorização homóloga ter perdido fôlego ao longo do ciclo pandémico, atingindo em março de 2021 os 2,6%, a variação mais baixa dos últimos 5 anos, e 13% menos que o registo de início da pandemia, de 15,6% em março de 2020.

Neste mês, os preços registaram uma subida de 1,3% face a outubro, o terceiro mês consecutivo em que a variação em cadeia acelera, depois de um período de suavização das subidas registado no verão.

No mês de novembro, o preço médio de venda das casas em Portugal fixou-se nos 1.878 euros/metro quadrado, atingindo os 2.625 euros na habitação nova e os 1.804 euros na habitação usada.

Ricardo Guimarães, diretor da Confidencial Imobiliário, destaca em comunicado que «um dos principais fatores a influenciar a subida de preços continua a ser a falta de oferta disponível num contexto de procura que se mantém dinâmica. A preocupação mais imediata geralmente referida pelos operadores de mercado no PHMS, um inquérito de sentimento que realizamos mensalmente, tem a ver com o número reduzido de novas casas para venda a entrar o mercado e na forma como isso tem impulsionado os preços. Mas mais do que isso, os operadores começam também preocupar-se pelo facto de essa falta de oferta poder, a prazo, afetar a atividade, travando as vendas».

Fonte: Vida Imobiliária