Habitação
Venda de casas cresceu 57% entre os dois períodos de confinamento
O aumento das vendas de habitação face ao primeiro confinamento chegou aos 76% no Algarve, e aos 47% e 46% nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto.
hab edificio hab.jpg

No primeiro trimestre deste ano foram vendidas cerca de 49.600 casas em Portugal Continental, volume de transações que coincide com o segundo confinamento obrigatório, e que representa uma subida de 57% face aos 31.600 fogos vendidos durante o primeiro confinamento, no segundo trimestre de 2020.

Estas são as projeções realizadas pela Confidencial Imobiliário a partir da informação reportada pelos mediadores imobiliários ao SIR-Sistema de Informação Residencial, que apontam ainda para uma evolução positiva face ao último trimestre de 2020, com uma subida de 5% face às 47.200 casas vendidas nesse período.

De acordo com a Ci, este desempenho foi transversal a todas as regiões do país. As Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto e o Algarve registaram uma subida trimestral de 6% no volume de vendas. Na comparação com o anterior confinamento, as vendas subiram 47% na AML e 46% na AMP, e 76% no Algarve. Segundo os números estimados, ter-se-ão vendido 17.150 habitações na região de Lisboa, 8.120 na região do Porto e 3.900 no Algarve.

Já nas cidades de Lisboa e Porto, o crescimento trimestral das vendas rondou os 6%, e entre confinamentos os 47%. Lisboa registou 3.820 casas vendidas entre janeiro e março, e o Porto 2.250 fogos.

Neste primeiro trimestre do ano, o preço médio de venda das casas em Portugal fixou-se nos 1.715 euros/m², atingindo os 2.232 euros/m² na AML, os 1.601 euros/m² na AMP e os 1.836 euros/m² no Algarve. em Lisboa, o preço médio das vendas rondou os 3.656 euros/m² e no Porto os 2.318 euros/m².